perfil

perfil


Desde que surgiram, há 21 anos, Luciana Martins e Gerson de Oliveira
fazem um trabalho situado no limite entre o design e a arte. Sem
medo de experimentar e de abrir caminhos, primam por uma criação
inteligente. Seus objetos têm o poder de conciliar a concisão com a
capacidade de surpreender.

Uma cadeira que se esconde num cubo preto e se revela apenas
ao receber o corpo do usuário; bolas de sinuca que são deslocadas
de sua função para servirem de cabides; planos que desenham
percursos múltiplos: são vários os exemplos de uma produção que
instiga e confunde a nossa percepção, fazendo com que o nosso
relacionamento com os objetos não seja de consumo (uso imediato
e tantas vezes alienado), mas de fruição (que não se estanca no
primeiro contato mas, antes, vai trazendo novas nuances à medida
em que o tempo passa).

É nessa capacidade de oferecer mais do que a função, de brincar
com a nossa percepção e nos fazer pensar, de mexer com nossos
parâmetros que, a meu ver, reside a pulsão artística do trabalho da Ovo,
tornando seus objetos e móveis algo para usar, mas também para ver
e para colecionar. Para guardar – naquele sentido original do verbo, de
preservar, manter, conservar.

Por mais instigantes que sejam à primeira vista, as peças se revelam,
no uso, perfeitamente funcionais – e esse acaba sendo mais um
elemento da surpresa; uma confirmação de que não abrem mão de ser
design. Elas em geral são mutantes. Permitem diferentes composições,
configurações e disposições, para desejos e necessidades que variam
ao longo do dia ou da vida. Em muitas, assiste-se ao desdobramento
da forma e/ ou da função. Podem estar no chão e subir pelas paredes,
e daí voltarem novamente ao chão, ganhando novas utilidades em cada
fase do percurso.

Cabideiros, prateleiras, bancos, mesas, cadeiras e sofás intercambiam
suas funções. São objetos híbridos, dinâmicos, flexíveis, que rompem as
fronteiras das classificações. A liberdade se manifesta também na escolha
dos materiais. Eles passeiam à vontade entre os metais (aço inox, alumínio,
ferro...), as madeiras (maciça, laminada, mdf), os tecidos, os vidros e os
acrílicos. E, se não abusam das cores, também não se furtam a elas.

Sem cair na assepsia do modernismo tal como foi lido por tantos,
como um grilhão a impedir vôos e poesia, os móveis e objetos
desenvolvidos por Luciana Martins e Gerson de Oliveira têm clareza
de pensamento e de construção; buscam a forma justa, sintética
e depurada da criação divina que escolheram para dar nome a seu
estúdio, como uma profissão de fé: ovo. Como haikais concisos
e surpreendentes, comunicam a contemporaneidade e ao mesmo me
parecem pré-destinados a transcender o tempo em que foram feitos.

Adélia Borges é crítica, historiadora de design e curadora. É autora de Design +
Artesanato: O Caminho Brasileiro, de 2011; e Designer não é Personal Trainer, de 2002,
entre outros livros. Foi diretora do Museu da Casa Brasileira (2003 a 2007) e curadorageral
da Bienal Brasileira de Design (2010). É professora de história do design na Faap
e jornalista colaboradora de várias publicações.

curriculum

Luciana Martins, São Paulo, 1967
Gerson de Oliveira, Volta Redonda, 1970


PRINCIPAIS EXPOSIÇÕES

2012 - Brazilian Design – Modern and Contemporary Furniture, Berlim, Alemanha
2011 - 55 Brazil, The Civic, Barnsley, Reino Unido
- Salão Design São Paulo, Oca, São Paulo
2010 - Bienal Brasileira de Design 2010, Curitiba (peça: luminária Bau)
- Design Brasil: 101 Anos de História, Museu da Casa Brasileira, São Paulo
- Clube do Design, MAM – Museu de Arte Moderna, São Paulo
2009 - Tiras, Ovo, São Paulo
- Jardim de Infância, MAM – Museu de Arte Moderna, São Paulo
- Design Brasileiro Hoje: Fronteiras, MAM – Museu de Arte Moderna, São Paulo
2008 - Come To My Place, Westerhuis Gallery at Experimenta, Amsterdam, Holanda
- Lapis Lapin, Surface to Air, São Paulo
2007 - Tijuana, Galeria Vermelho, São Paulo
- Campo, OVO, São Paulo
2005 - P.A., Projeto Parede, MAM – Museu de Arte Moderna, São Paulo
- Plasticorama, MAM – Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro
2004 - Sala de Arte, OVO / Galeria Brito Cimino
- Hora Aberta, Galeria Vermelho, São Paulo
- Bienal Internacional de Saint Etienne, França
2003 - História do Sentar, Museu de Arte de Curitiba
2002 - Home Sweet Home, inauguração do espaço expositivo OVO
2001 - Bienal da Prata, Lamego e Porto, Portugal
- Bienal 50 Anos, Fundação Bienal, São Paulo
- Recortes, Galeria Brito Cimino, São Paulo
2000 - Playground, Galeria Brito Cimino, São Paulo (individual)
- Brasil Faz Design, Museu da Casa Brasileira, São Paulo
- Brasil Faz Design, Società Umanitaria, Milão, Itália
- Brasil Faz Design, Museu de Arte Moderna, Rio de Janeiro, RJ
1999 - Design na Faculdade, UnG, Universidade de Guarulhos, Guarulhos
1998 - Design Brazil , 5 Contemporary Designers, Arango, Miami, EUA
- Galeria Casa da Imagem, Curitiba
1997 - Subjetos, MuBE, Museu Brasileiro da Escultura, São Paulo
-Design Mit Zukunft , Focke-Museum, Bremen, Alemanha

1996 - 1º Brahma Reciclarte, Jardim Botânico, RJ
- Design Brasil 2000, Museu de Arte de Ribeirão Preto, RP
- Brasil Faz Design, Palazzo Reale, Milão, Itália
- Brasil Faz Design, Instituto dos Arquitetos do Brasil, RJ
- Brasil Faz Design, Liceu de Artes e Ofícios, Salvador
- Gavetas, Zona D, SP
1995 - Individual, Café Design Tok & Stok, São Paulo
- Entre Objetos, Museu de Arte Moderna do Rio de Janeiro, RJ
- Entre Objetos, Galeria Nara Roesler, São Paulo
1994 - Seleção do 8º Prêmio Design do Museu da Casa Brasileira, SP
1993 - Iluminativa, Museu de Arte de São Paulo, SP
- Coletiva de Designers, Galeria Montessanti-Roesler, SP
- Coletiva de Designers, Ovideo, SP


PRÊMIOS

2010 - 1º lugar na categoria Mobiliário Residencial do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para a linha Tiras
2005 - 1º lugar na categoria Utensílios do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para Huevos Revueltos
- 2º lugar na categoria Mobiliário Residencial do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para cadeira Terceira, Museu da Casa Brasileira
- Menção Honrosa na categoria Utensílios do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para Box in the Box
2000 - 1º lugar na Categoria Profissional na premiação da 4ª edição do Brasil Faz Design pela mesa Mientras Tanto
1997 - Menção Honrosa na categoria Mobiliário Residencial do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para a mesa Camelo
1996 - Selo de qualidade na categoria Mobiliário Residencial do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para a estante Distante
1995 - 1º lugar na categoria Mobiliário Residencial do Prêmio Design Museu da Casa Brasileira para a poltrona Cadê
- Prêmio conferido na mostra "Brasil Faz Design" (para a poltrona Cadê) realizada em Milão,
Itália, posteriormente apresentada no Brasil.




PRINCIPAIS PUBLICAÇÕES
- “Design Brasil: 101 Anos de História”, SANTANA, Pedro Ariel (org.), 2010, Ed. Abril, São Paulo, Brasil
- “Viewpoint. BRICBrands”, HANCOCK, Liz; Junho, 2010, Inglaterra
- “Ovo: Hibridismo no design contemporâneo”, GHOMES, Rogério; tese de mestrado UNESP, 2009.
- “Design Brasil – Volume 4”. Casa Claudia; Abril, 2009, São Paulo. Brasil.
- “Young Designers of America”, 2007,Daab, Alemanha
-“& Fork”, Phaidon Press, 2007, Grã-Bretanha
- "50 Tables". BYARS, Mel; 1998, Rotovision, Suiça.
- "50 Lights". BYARS, Mel; 1998, Rotovision, Suiça.
- "50 Chairs". BYARS, Mel; 1997, Rotovision, Suiça.
- "International Design Yearbook", STARCK, Philippe (edição); 1997, Inglaterra
- "Dictionnaire International des Arts Appliqués et du Design", BARRÉ-DESPOND, Arlette (org.); 1996, Éditions du Regard, França.
- "Museu da Casa Brasileira", BORGES, Adélia; 1996, (Câmara Brasileira do Livro, São Paulo, Brasil)
- "Rede de Tensão - Bienal 50 Anos", BRANDÃO, Marli; 2001, São Paulo, Brasil.
- "RUM. Tidskriften om Arkitektur, Inredning och Design", ZIMM, Malin; Fevereiro, 2001, Suécia.
- "São Seers", O´KELLY, Emma; Wallpaper, Abril, 2000, Inglaterra.
- "Playground", SCHNEIDER, Clarissa; Casa Vogue, 2000, Brasil.
- "Playground", GROSSMANN, Martin; 2000, Galeria Brito Cimino, São Paulo, Brasil.
- "A Dupla Vida dos Objetos que são o que não Parecem", MARIZ, Juliana; Jornal Valor, 28/11/2000, Brasil.
- "SUBJETOS, ou a tentativa de reverter valores", ESTRADA, Maria Helena; Arc Design, Dezembro , 1997/Janeiro 1998, Brasil.
- "Subjetos", BORGES, Adélia; Casa Vogue, 1997, São Paulo, Brasil.
- "Objectos-Palavras", MILHEIRO, Ana Vaz; Público, 2001, Portugal.
- "Dupla Transforma Móveis em Arte”; HIRSZMAN, Maria; Jornal da Tarde, 25/01/1997, Brasil.
- "Dupla subverte design em novo espaço expositivo", MOLINA, Camila; Jornal O Estado de São Paulo, 08/11/2002, Brasil.

PEÇA EM ACERVO DE MUSEU
- "P.A.", MAM - Museu de Arte Moderna de São Paulo
- “Honey, I´m Home”, MAM - Museu de Arte Moderna de São Paulo